A logística e gestão de armazenagem

Posted by
Armazenagem

A armazenagem envolve a administração dos espaços necessários para que os materiais sejam mantidos estocados na própria fábrica ou em armazéns de empresas especializadas. Essa atividade é muito importante, já que, muitas vezes, diminui a distância entre vendedor e comprador, além de abranger diversos processos como:
– localização,
– dimensionamento,
– recursos materiais e patrimoniais (arranjo fisico, equipamentos etc.),
– pessoal especializado,
– recuperação e controle de estoque,
– embalagens,
– manuseio de materiais,
– fracionamento e consolidação de cargas e a necessidade de recursos financeiros e humanos (GUARNIERI, 2006).

Moura (1997) define a armazenagem como sendo a denominação genérica e ampla, que compreende todas as atividades de um ponto destinado à guarda temporária e à distiibuição de materiais (depósitos, centros de distribuição etc.). Já a estocagem é definida como sendo uma das atividades do fluxo de materiais no armazém e pontos destinado à locação estática dos materiais.

Em um armazém, pode haver vários pontos de estocagem.
Uma instalação de armazenagem pode desempenhar papéis diversos dentro da estrutura de distribuição adotada por uma empresa:
– Recepção e consolidação de produtos de vários fornecedores, para posterior distribuição a diversas lojas de uma rede;
– Recepção de produtos de uma fábrica e distribuição para diversos
clientes.

A armazenagem possui quatro atividades básicas:
– recebimento,
– estocagem,
– administração de pedidos e
– expedição (ARBACHE et ai, 2004).

Dias (1993) afirma que a eficiência de um sistema de armazenagem está sujeita à escolha do almoxarifado, que deve estar relacionado com a natureza do material movimentado e armazenado. Para ele, uma correta administração do almoxarifado oferece um melhor aproveitamento da matéria-prima e dos meios de movimentação, evita rejeição de peças resultantes de batidas e impactos, reduz as perdas de material no manuseio e impede outros extravios, fazendo com que haja economia nos custos logísticos de movimentação.

E isso também é válido para outros Iocais de armazenagem, como os depósitos. Segundo Bailou (1993), há quatro razões básicas para que uma empresa destine parte de seu espaço tisico à armazenagem:
– redução de custos de transporte e produção;
– coordenação de suprimento e demanda;
– auxilio ao processo de produção e
– auxilio ao processo de marketing.
Barros (2005) recomenda que a armazenagem deva ser planejada, envolvendo desde o layout do armazém, o manuseio de materiais, a embalagem, a identificação dos materiais, os métodos de localização de materiais, até o custo e nível do serviço que se deseja oferecer.
Lembra ainda que um dos aspectos mais relevantes deveria ser justamente a detecção do ponto de equilíbrio entre o custo de se manter estoque, com relação ao nível de serviço que se deseja oferecer.

 

 

Funções da armazenagem

De acordo com Bailou (1993, p. 158), “depósitos prestam quatro classes principais de serviços ao usuário. O projeto da facilidade geralmente retlete a natureza dos serviços que esta desempenha”.

Tais serviços são:
• Abrigo de produtos: talvez o uso mais óbvio da armazenagem seja a guarda de estoques, gerados pelo desbalanceamento entre oferta e demanda. Garante proteção e outros serviços associados, como manutenção de registros,
rotação de estoques e reparos.
• Consolidação: a estrutura das tabelas de frete, principalmente quando contém reduções substanciais para grandes lotes, intluencia a forma pela qual os depósitos são utilizados para a movimentação de produtos. No caso de mercadorias originárias de muitas fontes diferentes, a empresa pode economizar no transporte, caso as entregas sejam feitas em um armazém, onde as cargas são agregadas, ou consolidadas, e transportadas em um único carregamento até seu destino final. Esse tipo de armazém de consolidação é mais frequente no suprimento de materiais.
• Transferência e Transbordo: na transferência, fracionam-se quantidades transferidas em grandes vohunes em quantidades menores, demandadas pelos clientes. Estabelece-se um depósito regional que receberá pequenos volumes, de acordo com a necessidade dos clientes. Esta função é oposta à da Consolidação. O caso do transbordo é semelhante, porém difere do primeiro no fato de que o depósito não serve para a guarda dos produtos. Ele serve, simplesmente, como o ponto em que os grandes lotes de entrega terninam sua viagem e em que se originam as entregas dos volumes fracionados.
• Agrupamento: um uso especializado para depósitos é o agrupamento de ítens de produto. Algumas empresas com linha extensa de produtos podem fabricá-los de maneira integral com cada uma de suas plantas industriais. Geralmente, os clientes compram a linha completa e, assim, podem-se obter economias de produção pela especialização de cada fábrica na manufatura de uma parte da linha de produtos e, sendo possível entregar a produção em um depósito, onde os itens são agrupados conforme os pedidos realizados. O custo de
armazenagem é compensado pelos menores custos de manufatura, devido aos maiores lotes de produção para menos itens em cada planta.

Este conteúdo faz parte da Teseabertas da PUC do RJ ( 0721729/10 capítulo1)
Siga-nos e acompanhe a continuação deste assunto em nossas próximas postagens.

Loading…

Comments (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *