Logística, na maioria das vezes, é confundida com transporte, porque?

Postado por
Logística

A logística geralmente é confundida com transporte, talvez pelo fato das operações de distribuição estarem mais expostas à visibilidade e aprovação ou não dos consumidores, um caminhão circulando pelas ruas, avenidas ou rodovias com descrições do tipo Just in time, logística ou até mesmo logística integrada leva os transeuntes a classificarem apenas como transportadores.

È bem verdade que transporte é uma parte importante, mas para que ele aconteça, nos bastidores há uma equipe preocupada com a sua perfeita sincronização, pois diversos locais de saídas e mais ainda de entrada dessas mercadorias devem ser bem planejadas e tudo isso tem um propósito, atender as necessidades dos clientes.

Seja de que maneira for efetuada a compra de uma mercadoria, por parte da logística entendemos ser necessária a aquisição de matéria prima e o consequente transporte até a fabrica para a transformação, após o trabalho de transformação mais uma vez o transporte entra em cena para levar até os pontos de vendas atacadista ou varejista o produto já em condições de uso, isso por si só já é complexo, e se pensarmos num montante superior a uma dezena de produtos com cores e especificações diferentes teríamos a dimensão do quanto tudo deve estar em sintonia.

 

O presente texto busca entre outros, esclarecer o que na verdade significa logística, sua importância nas atividades relacionadas à satisfação dos clientes em adquirir um produto ou serviço sem ao menos conhecer quais são os caminhos percorridos até antes da aquisição do produto.

Logística trata questões relacionadas ao gerenciamento dos meios de abastecimento de matérias primas para o processo de transformação nas indústrias, armazenagem tanto desses insumos como dos produtos acabados além da movimentação interna na planta de forma coordenada visando atender as necessidades de cada processo produtivo, distribuição física das mercadorias desde a planta até o local de requisição do cliente.

 

Entendemos em primeira vista se tratar de administração meramente, é bem verdade, porém, nesses moldes é algo que devemos atentar para algumas observações importantes, administrar recursos de maneira que tudo possa sair conforme uma exigência prévia advinda de locais distantes e com detalhes diversos, isso podemos já classificar logística.

Sua importância remonta a tempos passados e para enriquecer o texto explanarei um dado histórico sobre logística que ajudará o entendimento.

A logística não é um termo novo ela sempre foi utilizada, em tempos remotos o uso de equipes de planejamento por militares era muito ativo, quando os comandantes decidiam avançar com suas tropas estes tinham a sua disposição uma equipe que tratava do deslocamento eficiente, servindo assim destes levavam a cabo suas estratégias de combate. Estas equipes providenciavam para que todos os suprimentos de guerra previamente armazenados nos quartéis chegassem aos combatentes em campo (víveres, armas e munições, alimentos, fardamentos, materiais de socorro médico, etc.), traçavam linhas de deslocamento a pé ou por meio de veículos objetivando chegar a um determinado ponto ao menor tempo possível, com a quantidade correta, ou seja, sem desperdícios nem perdas. Eram de extrema importância para um general á frente de um exército que esta equipe fosse capaz de planejar essas operações de forma brilhante, muitas vezes o sucesso de uma batalha dependia dessas operações.

“Inteligência militar” termo usado para definir é como encontramos em algumas literaturas que tratam do assunto, não eram vistos com grande glamour como os combatentes após as vitórias, eram sim tidos apenas como uma equipe de apoio.

 

Nas organizações ainda hoje não é diferente da descrita acima, a constante preocupação das empresas de produção no deslocamento dos insumos para produzir seus bens, de uma loja de varejo convencional que para atender seus clientes necessitam de respostas eficientes ou mais ainda de uma modalidade de comércio virtual onde a venda feita através de um canal Web tem como forte impulso o compromisso da entrega rápida e eficiente, muitas vezes o sucesso ou fracasso de uma organização empenhada em atender seu publico alvo esta ligado ao pessoal que integram as equipes de operações, mas como trabalham nos bastidores e não são “vistos” não lhes é atribuído mérito algum.

O gerenciamento dessas atividades por algum tempo foram consideradas como de custo e não agregava valor nenhum as operações sendo considerada apenas como reativa, mas com o tempo a dinâmica de mercado impôs o fator tempo como determinante para o atendimento eficiente das necessidades.

Os clientes de agora dotados de informações passaram a exigir das empresas operações com respostas cada vez mais rápidas, isso mudou de vez aquele velho pensamento de que as atividades de bastidores não tinham importância nenhuma para a realização de um bom serviço de entrega, passaram então a considerar estas atividades como um elemento essencial para o sucesso, de uma atividade custosa e sem expressão passou a ser vista como de agregação de valor visto ser possível dar respostas eficientes através de uma operação bem planejada passando a ser a estratégia competitiva das organizações.

Alguns elementos básicos foram percebidos pelas organizações em seus departamentos comerciais, e isso devido ao fato de o gerenciamento das operações logísticas terem a capacidade de responder de forma eficiente às exigências do mercado, essa eficiência notoriamente agrega alguns valores que transformam o relacionamento comercial, na medida em que esses valores são percebidos parcerias são firmadas entre eles, essa junção de esforços pela melhoria dos processos envolvidos nessa transação comercial só poderia ocasionar algo positivo entre os elos envolvidos.

Sendo a percepção dos clientes tão afiadas assim, então quais seriam esses valores?

Em resposta a esta pergunta encontramos na obra de Novaes, Antonio Galvão “Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição”, exatamente quais são os principais valores que aplicados numa operação eficiente são percebidos pelos clientes, são eles:

Valor de lugar.

Determinado produto só terá seu valor percebido pelo cliente se este estiver próximo e disponível para o consumo imediato, para que isto seja possível é necessário que uma operação bem planejada seja aplicada na distribuição destes produtos de um ponto de distribuição até o ponto de venda, somente desta forma é possível a percepção de valor, caso contrário pode ocorrer, por exemplo, sentir o desejo de consumir determinado produto e não o encontra na primeira lanchonete que entrar sendo informado que esta em falta, certamente outro irá suprir esse desejo imediato, mas na falta daquele tal produto outra marca pode “roubar” essa percepção de valor, o pior é que o cliente pode decidir eleger de agora em diante por essa nova escolha.

Valor de tempo.

O tempo essencialmente está associado à disponibilidade de um bem ou serviço com prazo pré-determinado, um documento esperado para a realização de algum desembaraço aduaneiro, por exemplo, que conste um prazo de entrega de algum equipamento importante para a realização de uma atividade produtiva, não pode se dar ao luxo de esperar por muito tempo.

Novaes exemplifica o caso do jornal impresso toda atividade logística deve ser eficiente, pois não da para supor o atraso na entrega e a “perda” e acesso do conteúdo informativo, se caso ocorra perdeu-se o valor do produto ficando o leitor prejudicado.

Destaca ainda o comércio eletrônico onde os prazos são mais severos, dada às características deste modelo de negócio superar os prazos apertados e cumprir com o compromisso leva o cliente à percepção desse item.

 

Valor de qualidade.

Produtos com características particulares, itens sensíveis como eletro eletrônico ou perecíveis “alimentos frescos”, ou até mesmo um livro para fins urgentes são vistos como delicados tanto para quem os compra como para quem os transporta, de que vale um produto desta natureza se ao receber está danificado, vencido ou extraviado. Portanto neste caso, qualidade ao transportar garantindo integridade física do produto agrega valor ao produto.

 

Valor da informação.

Um elemento adicional tem levado empresas a tomarem medidas visando agregar ainda mais valor ao produto, trata-se de permitir aos clientes o conhecimento em tempo real de seus pedidos, feito por meio de um cadastro via web o cliente tem condições de saber onde se encontra sua encomenda, se esta conforme o programado, itinerário, localidade e tempo de chegada, esta aproximação leva o cliente a perceber o valor.

Informação por si só é um item de grande valor para qualquer que seja a operação, transmite confiança, transparência e segurança, aproxima ainda mais os agentes transformando a relação comercial em parceria.

Apesar da confusão recorrente, mesmo em meios acadêmicos, logística não significa apenas transportar e armazenar materiais vai muito além, profissionais desta área desenvolvem estratégias das mais variadas para garantir uma operação que agregue valor ao cliente sem demandar custos exorbitantes, mesmo diante das restrições variadas impostas a esses profissionais o objetivo é operar de forma a atender as necessidades exigidas a cada venda.

 

Para conceituar Logística contamos com o apoio do “Council of Supply Chain Management”, (Gerenciamento da cadeia de suprimentos).

“Logística é o processo de planejar, implementar e controlar de maneira eficiente o fluxo e a armazenagem de produtos, bem como os serviços e informações associadas, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender aos requisitos do consumidor”.

Por: Francisco Marcio Oliveira

Loading…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *